6 HQs DA ERA "PRÉ OURO" QUE VOCÊ TEM QUE CONHECER


 Por Tutatis!!!

Sim malditos, hoje iremos ver 6 dos principais HQs que eram publicados antes de Superman e da dita Era de Ouro ou Era dos heróis. Muitos fãs não conhecem (a grande maioria desconhece totalmente) esses verdadeiros clássicos da nossa querida 9ª Arte, que possibilitaram tudo o que veio depois. 


Litle Nemo in Slumberland de Winsor Mccay (1905)

Maccay é  considerado um dos pontos mais altos de todos os tempos na arte dos HQs, seus trabalhos, principalmente em Slumberland são ditos por muitos críticos, inigualáveis, verdadeiras obras de artes. Com traços de  surrealismo e arte barroca, o roteiro com doses de nonsense, conta a história  do pequeno Nemo que dorme e sonha com aventuras no mundo de SlumberlandMccay também foi um dos pioneiros da animação e chegou a lançar um sucesso: Gertie, o dinossauro, que até hoje  impressiona pela movimentação  do personagem. Depois da sua morte Mccay teve seus originais expostos no Museu de Arte Moderna de Nova York, como quase sempre acontece o reconhecimento veio somente depois da morte

Li`l Abner de Al Capp (1934)

Al Capp talvez foi um dos mais controversos autores do começo da industria dos HQs, debochado irônico e muitas vezes mal educado, destilava criticas venenosas em suas tirinhas sobre a sociedade em geral, com isso fez ao longo da vida muitos desafetos. Seu personagem mais famosos foi Li`l Abner (no brasil conhecido como Ferdinad) foi onde essas criticas foram mais explicitas, o personagem chegou a ter seu proprio desenho e Filme. Capp era um escritor de mão cheia, além das HQs escreveu para o Teatro e chegou a ter um programa de entrevistas na televisão. Apontado como grande satírico, nesse quesito chegou a ser comparado com o escritor Cervantes, autor de Don Quixote .

O Menino Amarelo de Richard F. Outcault (1895)

Reconhecido pela maioria dos historiadores de Quadrinhos,  obra de de Outcault é apontada como primeira  HQ da história, embora os elementos definidores disto vieram só em 1896 quando o artista mudou de jornal, saiu do World para o The Journal,  seguindo conselhos do editor nos quais incluía o uso de balões. o autor ainda viria a sofrer com perda doa direitos autorais do personagem em uma disputa entre os dois jornais. A historia simples mostrava as peraltices de uma criança careca e orelhuda que vestia um camisolão amarelo e que vivia nos becos pobres de Nova York. Esse personagem foi homenageado por Frank Miller no seu Sin City.

Popeye de  Edgar Cegar (1929)


Na tirinha thimble theater  (publicada desde 1919) em 1929 apareceu um coadjuvante que logo se tornou  o personagem mais famoso de seu criador, o marinheiro Popeye. Mal-humorado e com frases curtas mas contundentes,  Popeye se tornou um personagem dos mais reverenciados desta época, virando desenho animado de sucesso,  ganhou até mesmo um longa-metragem em 1980, quando filmes baseados em quadrinhos estavam longe de ser a febre que são hoje. Cegar e lembrado por conseguir escrever fora das convenções sociais da época, cada personagem seu mostrando traços de personalidade pouco louváveis, exatamente onde residia toda força cômica das histórietas.

Tarzan de  Hal Foster (1929)

Aqui no traço de Hogarth
Os direitos do livro de  Edgar Rice Burroughs foram comprados por U$ 700 dólares pela, na época, toda poderosa ERC inc. E o projeto de transformar o livro que na época já era um Best-Seller e HQ foi para nas mãos do talentoso Hal Foster que segui no titulo até 1937, quando então um artista tão talentoso quanto Foster assumiu as tirinhas do rei dos macacos, Burne Hogarth, com suas ilustrações primorosa, Tarzan teve sua fase mais inspirada e inspiradora. Com desenhos e ritmo inigualáveis para época, até hoje é um titulo lendário. Burne é  hoje considerado um Michelangelo das HQs, e chegou a ter seus trabalhos expostos no Museu do Louvre.




Fantasma de  Lee Falk e Ray Moore (1936)

Depois de criar o também incrível Mandrake com Phill Davis nos desenhos, Lee Falk conseguiu novamente criar mais um ícone dos HQs, O Fantasma. Em conjunto desta vez com o igualmente talentoso Ray Moore, que definiu todo o visual do personagem e o clima Noir das histórias. Por problemas de saúde infelizmente Moore não consegui seguir no titulo por muito tempo, e o visual das historias nunca mai foi o mesmo. Ainda assim, O Fantasma, o espirito que anda, antecipou diversos elementos,  que depois vieram a se tornar comuns na Era de Ouro das HQs.




PROXIMA
ANTERIOR
Click here for Comments

0 comentários: